Spread bancário: Um olhar interno sobre como seu dinheiro se movimenta

Quando você entra em seu banco para depositar ou retirar dinheiro, você provavelmente não está pensando no processo pelo qual o dinheiro passa antes de ser transferido para sua conta ou entregue a você. Mas seu dinheiro passa por uma série elaborada de etapas, chamadas de spread bancário, entre quando entra no banco e quando é depositado em sua conta ou colocado em sua mão, e a compreensão deste processo pode ajudá-lo a tomar decisões mais informadas sobre como lidar com suas finanças.

Aqui está uma rápida visão geral do que acontece quando você é pago, quando faz um depósito ou retira dinheiro de suas contas bancárias.

 

O que é um spread bancário?

Um spread bancário é a diferença entre a taxa de juros que uma instituição financeira paga sobre depósitos e a taxa que ela cobra sobre empréstimos. O spread é usado para cobrir custos operacionais e gerar lucros.

Tipicamente, quanto maior o spread, mais lucrativo é o banco. Para os consumidores, é importante entender como os bancos ganham dinheiro para que você possa tomar decisões informadas sobre onde manter seu dinheiro.

 

Por que isso é importante?

Um spread bancário é a diferença entre a taxa de juros que uma instituição financeira paga sobre depósitos e a taxa que ela cobra sobre empréstimos. O spread é a forma como os bancos fazem seu dinheiro. Ao entender como funciona o spread, você pode ter uma ideia melhor de como seu dinheiro se movimenta quando você o deposita em uma conta bancária ou contrai um empréstimo.


Entendendo o básico

Quando você deposita dinheiro em uma conta poupança ou conta corrente, o banco não o mantém apenas em um grande cofre. Ao invés disso, seu banco usa esse dinheiro para fazer empréstimos a outras pessoas e empresas, que é como elas fazem seus lucros.

Este processo é chamado de spread bancário. Pode ser muito lucrativo para os bancos devido à diferença entre o que o banco paga em depósitos (geralmente 0,01% APY) e o que ele cobra em empréstimos (às vezes até 20% APR).

Isso significa que para cada $100 depositados pelos clientes, um banco típico pode pagar cerca de $0,10 em juros e cobrar em qualquer lugar de $20 a $25 sobre os fundos emprestados. Quanto maior for o saldo do empréstimo, tipicamente, maior será a taxa de juros cobrada.


Quais são os diferentes tipos de taxas de juros?

A taxa de juros é o custo do empréstimo, e é importante entender os diferentes tipos antes de começar a acumular dívidas. Existem três tipos principais de taxas de juros: fixas, variáveis e ajustáveis. Uma taxa de juros fixa significa que a taxa nunca mudará durante a vida do empréstimo.

Uma taxa de juros variável significa que a taxa pode mudar ao longo do tempo, geralmente em resposta a mudanças no mercado. Uma taxa de juros ajustável significa que o empréstimo se ajusta automaticamente a cada ano ou mais, geralmente com base em um índice como a LIBOR. 

Para uma hipoteca com taxa fixa, por exemplo, isto significaria que seus pagamentos mensais subiriam se a LIBOR subisse.


Interpretando as taxas de juros – Um estudo de caso

A maioria das pessoas sabe que os bancos oferecem taxas de juros diferentes para contas de poupança do que para contas correntes.

O que muitos não percebem é que o spread entre estas taxas – conhecido como spread bancário – pode variar muito de um banco para o outro. A fim de entender como seu dinheiro se movimenta, é importante olhar mais de perto o spread bancário e como ele o afeta.

AGUARDE 40 SEGUNDOS PARA BAIXAR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *